sexta-feira, 27 de junho de 2014

Me consome

Vivo em um mundo de trevas,
o ódio me consome,
lembranças ruins estão por toda parte,
de um modo devastador.

Regras, ordens, discussões ,
algo sem razão e desnecessário.

Querem respeito, mas o querem a força, 
se o querem, aprendam a conquista-lo.

Não sabem do que sou capaz,
por olhares, demonstro o que sinto,
me conhece e sabe bem o que digo, 
posso provocar sem me mover ou falar ,
posso mover montanhas.  

Aprendo com a dor ,
caminho de mãos dadas com a morte,
sou uma condenada sem destino,
o ódio me converte, a dor é minha religião. 

Não existe amor a sua imagem,
uso uma mascara negra ,
com ela escondo a angustia que guardo no peito.

Magoas tanto quem um dia tentou ama-la,
nem todas as lágrimas ao brotarem do meu corpo,
demonstram o que sinto, amenizam a dor,
mas, incapazes de leva-la para longe.

Paro lentamente em uma estrada,
busco uma saída mas nada encontro, além de escuridão,
não a nenhum momento de paz, me sinto sufocada,
respiro fundo, ainda não vejo nada.

Não a saída ate que tudo esteja feito, 
dizem que a esperança mas, 
desconfio de tal palavra.

Anne Leão 
05-10-2013